Sunday, July 18, 2010

Filmando 'O Som ao Redor'


Fui abrir esse meu blog depois de 2 meses e de repente, Cannes voltou rapidamente à mente, algo que parecia já tão distante. Para mim, é como se eu tivesse visto 'Uncle Boomee' ano passado, ou 'O Leopardo' restaurado se misturando às outras 4 ou 7 vezes que já o havia visto. Não, minto, 'O Leopardo' parece mesmo que o revi 10 ou 13 semanas semanas atrás. E o filme de Joe, eu poderia desenhar algumas imagens no caderno se ainda fosse pra escola, na aula de matemática.

Mas hoje eu 'tou no 4o dia de filmagem de 'O Som ao Redor', meu primeiro filme do tipo 'longa'. Não sei bem como compartilhar a sensação, mas em maio, Cannes deu a experiência inigualável de ver muito filme, e agora eu estou dentro do meu próprio filme. Como no festival, eu aqui tenho alguma idéia do que fazer, vez ou outra me sentindo perdido, sem ter exatamente uma idéia fechada sobre o que ver ou procurar.

De qualquer forma, estar dentro das imagens, vendo-as ou inventando as minhas, é uma coisa que não tem preço, e no que os anos passam, e você acumula experiência de vida, logo vê que as imagens e os sons são indissociáveis da vida em si. Talvez por serem mesmo prova de existir, vendo ou filmando. (kleber mendonça filho)

PS: o blog que eu realmente tenho tido prazer de atualizar é um dedicado apenas a imagens, e é pra lá que eu tenho mandado fotos que traduzem um tico do que tem sido vivido nas filmagens de 'O Som ao Redor'. Vejam http://www.flickr.com/photos/cinemascopio/

7 comments:

Dida Maia said...

O universo do cinema, visto por dentro.

Sou... said...

Tenho certeza que vai ser tão bom ou melhor do que Recife Frio. Desde que o assiti vivo procurando material com a sua assinatura. Parabéns pelo trabalho

Nicolau Ponte Preta said...

Olá td bom, estou passando para divulgar este documentário se puder der uma olhada. Obrigado.

Sensibilizador documentário "Nos Olhos da Esperança". http://nosolhosdaesperanca.blogspot.com/ É verdade, justiça tardia é injustiça!

Resenha

Jânio é um rapaz de vinte anos que foi preso na orla da praia da Cidade de Praia Grande confundido de fazer parte de um grupo de jovens que promoveram um arrastão. Mesmo sem provas ficou preso durante 11 meses. Leide e Francisco a mãe e o pai de Jânio precisaram lutar para provar a inocência do filho, enfrentando a principal dificuldade que esbarra num problema social ainda não resolvido no Brasil.

"Ser pobre é ser culpado até que se prove ao contrário?"

Nicolau Ponte Preta said...
This comment has been removed by the author.
Anonymous said...

muito bom acompanhar seu novo trabalho em fragmentos... abre para imaginar...

assisti alguns dias atrás recife frio pela segunda vez... ele se torna mais delicioso...
é poderoso falar de cidade...

bom saber que logo teremos o dvd... estive em recife procurando pelo filme... ansiosa em traze-lo para minas novamente... e construir uma primeira sessão no nosso bosque da escola de arquitetura...

aguardamos O Som ao Redor

um abraço

até...

dezzamac said...

eu moro no prédio que serviu de locação neste sábado hehe!

Documentários said...

Só que já esteve nos bastidores de uma gravação sabe o que isso significa... x)