Tuesday, May 20, 2008

EASTWOOD

Kleber Mendonça Filho
cinemascopio@gmail.com

Outra esperada grande esperança para a Palma de Ouro (Clint Eastwood é respeitadíssimo, é septuagenário e nunca ganhou uma) passou hoje, The Changelling, novo filme do astro diretor, que parece me pedir boa vontade ara afirmar que eu realmente gostei. Claramente com aquela aura de "à moda antiga" que identificamos já há muito tempo no cinema de Eastwood, é a história de uma mãe (Angelina Jolie) que, na Los Angeles de 1928, chega em casa um dia e vê que seu filho de nove anos de idade desapareceu. A polícia corrupta da cidade arranja um outro garoto e a obriga a aceitá-lo como seu, mesmo sob os protestos da mãe, num esquema de publicidade para o departamento que anda em baixa.

A abertura, com a vinheta da Universal Pictures na sua versão original 1928 dá pistas sobre o quanto esse melodrama tem carpintaria clássica, com estonteante décor e revisão de Los Angeles na época proposta, embora tom novelesco do todo não desça tão bem quanto alguns dos últimos filmes desse interessantíssimo autor que envelheceu muito bem como artista.

Os "vilões" são caricaturas risíveis, John Malkovitch parece ter recebido instruções de atuar mal e o filme, não me surpreenderia, se fosse lançado numa versão pelo menos 20 minutos mais curta, algo que acontece frequentemente com obras apresentadas em Cannes (Southland Tales foi o ultimo caso). Para mim, o filme não tem cara alguma de prêmio em Cannes (como tinha Mystic River).

4 comments:

tiago said...

kleber, espero que você escreva mais sobre esse filme, sou fã do clint e queria saber melhor seus motivos pra não gostar do filme
outra coisa, você poderia por favor fazer um post explicando os filmes que você acredita merecerem a palma de ouro? não precisa determinar favoritos nem nada, só dizer quais você aceitaria que ganhassem (pelo que vejo até agora esse ano está extremamente forte não? só filmes merecedores)

CinemaScópio said...

rapaz, tempo! n escrevi sbre 2 dos meus filmes preferidos, o Serbis filipino e o do Jia Zhang Ke, pra vc ter uma idéia. Esse post do eastwood é uma vergonha, mas pra compensar o do Two Lovers está mais próximo do que eu considero decente para um blog em Cannes.

tiago said...

é, reparei que você não fez textos sobre todos os concorrentes à palma de ouro, mas se puder ao menos no fim de tudo fazer um texto como o que pedi dizendo para quais filmes você aprovaria a palma eu agradeço
li sobre esse Serbis já, um texto de um brasileiro compara ao Claudio Assis, procede?
Obs: você usa o ano o e-mail que vem nos posts durante o ano inteiro? é que eu vou participar de um concurso de redação e pretendo fazer o texto sobre leis de incentivo, se seguir nesse caminho sua ajuda seria excelente

Rafael Carvalho said...

Como você bem disse, Eastewood é um caso interessante por ter envelhecido muito bem como artista. Mas depois de obras como Mystic River e Million Dollar Baby, um escorregãozinho aqui não tiraria o mérito desse grande diretor. Mas mesmo assim, pelo que eu li, muita gente gostou do filme do cara. Não me surpreenderia se seu filme vencesse a Palma, ou mesmo o Clnt levasse o prêmio de melhor diretor.